Anvisa proíbe comercialização de canela moída com inseto e pelo de roedor


Uma análise encontrou fragmentos de insetos e de pelos de roedores - Foto: Agência Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a comercialização, a distribuição e o uso da canela moída (tubo de 40g) da marca Piratas, fabricada pela empresa Domingos Costa Indústrias Alimentícias SA - Vilma Alimentos.


Segundo a publicação da resolução no Diário Oficial da União, do dia 13 de junho, uma análise da Fundação Ezequiel Dias (FUNED/MG), mostrou que havia seis fragmentos de insetos, indicativos de falhas de boas práticas de fabricação e quatro fragmentos de pelo de roedor, matéria indicativa de risco, ambos acima dos limites tolerados.


A legislação brasileira tolera a presença de areia, pelos de rato e até fragmentos de insetos nos alimentos industrializados. No entanto, há uma regulamentação que determina um limite, considerado inofensivo, para esse tipo de material.


A Vilma Alimentos, responsável pelo produto, enviou uma nota sobre o recolhimento voluntário do tempero, mas não manifestou a respeito do caso.

54 visualizações0 comentário