Mau uso pode colapsar o PAM de Oliveira

Pronto Atendimento deve ser procurado para emergências e urgências


O Pronto Atendimento Médico Municipal (PAM) de Oliveira fez, de janeiro a maio de 2022, 19.032 atendimentos a pacientes, dos quais 15.825 pouco urgentes e não urgentes e somente 3.207 protocolados como emergências, muito urgentes e urgentes. Criada, equipada e voltada para o atendimento de emergências e urgências, com corpo clínico e funcional devidamente habilitado e pronto para esses níveis de atenção, a unidade tem sido erradamente acionada por pacientes que deveriam estar se tratando nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) espalhadas pela cidade. A situação tem provocado congestionamentos na sala de espera do PAM, com consequentes reclamações e uso político irregular. Caso persista a pressão, o sistema pode chegar a um colapso.


Episódios recentes noticiados em mídias digitais têm levado a população que utiliza o serviço a agir com ameaças aos profissionais, que são intimidados com gravações de vídeo e declarações chulas, impróprias e ofensivas, tirando a condição da equipe de exercer seu trabalho com segurança. Este contexto tem gerado medo, indignação e desestímulo nos profissionais, sendo que alguns deles já pensam em deixar a unidade, preferindo trabalhar em locais menos tumultuados e arriscados.

A demanda de casos pouco urgentes dentro de um serviço de Urgência e Emergência sobrecarrega a estrutura, provoca desconcentração da equipe de profissionais médicos e da equipe multidisciplinar, que estão treinados e qualificados para atendimentos de urgências e emergências e que muitas vezes estão ocupados com casos de pouca gravidade.


As publicações em redes sociais apenas mostram, em formato sensacionalista, a superlotação do PAM, sem, contudo, informar a população sobre como e quando o serviço deve ser utilizado. Tais publicações também omitem a possibilidade de atendimento numa Unidade Básica de Saúde (UBS), com postos espalhados por toda a região urbana, totalmente preparados para os atendimentos de rotina e ambulatoriais. Enquanto isso, políticos em cumprimento de mandato e virtuais candidatos ao próximo pleito municipal têm se aproveitado das abordagens noticiosas equivocadas, para espalhar críticas e acusações irreais.


O Pronto Atendimento - SUS de Oliveira é um serviço de Urgência e Emergência 24 horas, porta aberta para toda a Macrorregião Oeste de Minas, com população estimada em mais de 1.3 milhão de habitantes, sendo retaguarda hospitalar nas especialidades de Neurocirurgia, Ortopedia, Cirurgia Geral, entre outras, para o SUS-FÁCIL, SAMU, além de serviços de resgate móvel da Rodovia Fernão Dias e urgências locais atendidas pelo Corpo de Bombeiros.


A unidade possui um sistema de classificação de risco chamado Protocolo de Manchester, pelo qual são priorizados os atendimentos de urgência e emergência, mediante uma triagem realizada por enfermeiros ou enfermeiras devidamente capacitados, disponíveis 24 horas por dia, que aferem os sinais vitais, principais queixas e definem o grau de prioridade de cada paciente, por meio de cores. Vermelho (emergência) – atendimento imediato. Laranja (muito urgente) - atendimento em 10 minutos. Amarelo (urgente) – atendimento em 50 minutos. Verde (pouco urgente) - Atendimento em 120 minutos. Azul (não urgente) – Atendimento em 240 minutos.


Conforme os dados estatísticos dos primeiros cinco meses de 2022 e apresentados no início desta reportagem, a maior demanda do Pronto Atendimento – SUS tem sido de casos verde e azul, tendo esse perfil os pacientes em condições clínicas de aguardar até 240 minutos para o atendimento na unidade ou, o mais indicado, serem atendidos numa Unidade Básica de Saúde (UBS), por não se tratar de casos de urgência e emergência.


A obrigação do PAM é disponibilizar dois médicos por plantão. Atualmente são disponibilizados até quatro profissionais para suprir a demanda. Mesmo assim, o que se observa é que quanto maior a oferta de médicos, maior é o número de pacientes não urgentes que procuram a unidade.


A Secretaria Municipal de Saúde alertou sobre a importância da população entender quando procurar uma UBS, utilizada sempre para casos não graves e crônicos, como gripes, leves dores de cabeça, dores lombares, mal-estar, bem como para vacinação, curativos, aferição de pressão, coleta e preventivo, entre outros. A UBS possui todo o histórico de atendimento dos munícipes, sendo assim possível conhecer cada usuário. Os postos funcionam de segunda a sexta-feira, de7h às 17h.


Já o Pronto Atendimento Municipal é para casos de fraturas, AVC’s, infartos, entre outros. Nos finais de semana, como não funcionam as unidades básicas de saúde, os pacientes devem procurar o PAM, mas somente quando isso realmente necessário.

118 visualizações0 comentário