Mudança em resolução sobre tarifa de esgoto é aprovada


PL votado em 1º turno impede cobrar por serviço não prestado - Foto: Guilherme Dardanhan

O Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) aprovou na última quinta-feira (23), em 1º turno, o Projeto de Lei (PL) 3.183/21, do deputado Cleitinho Azevedo (PSC), cujo objetivo original é determinar o retorno aos patamares tarifários de água adotados antes da Resolução Arsae-MG nº 154, de 2021. O projeto foi aprovado na forma do substitutivo nº 1, da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).


Essa resolução da Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário de Minas Gerais unificou as tarifas de coleta e de tratamento de esgoto, elevando a conta dos consumidores que têm apenas a coleta, mesmo sem a prestação do serviço de tratamento.


Antes, quem contava apenas com a coleta dos resíduos pagava o correspondente a 25% da tarifa de água pelo serviço. A partir da mudança, passou a pagar 74%.


Originalmente, a proposição buscava voltar ao patamar de 25% para consumidores sem tratamento de esgoto, mas mantendo 74% para os demais. O substitutivo acatado pelo Plenário impede somente a cobrança pelo serviço não prestado.


O novo texto ainda determina que o atraso no início da operação do serviço de tratamento de esgoto, nas localidades em que contratado, ou sua interrupção por motivo não previsto em contrato, fará incidir desconto sobre o valor da tarifa.


O desconto será revertido diretamente para a população e será em percentual a ser definido pela Arsae-MG. Enquanto não houver essa definição, o desconto será de 28,16% sobre a tarifa vigente.


O projeto também passa a prever que toda revisão tarifária será necessariamente precedida de audiência pública a ser realizada na ALMG, sob pena de sua ineficácia.


Para receber parecer de 2º turno o projeto seguirá agora à Comissão de Administração Pública.


(Com informações da Assembleia Legislativa de Minas Gerais)

22 visualizações0 comentário