top of page

Professores da UEMG entram em greve em cidades do Centro-Oeste, Triângulo, Zona da Mata e Vertentes

Entre as reivindicações, categoria pede recomposição salarial dos docentes e aumento salarial do corpo técnico-administrativo.


Foto: UEMG/Divulgação

Professores da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG) entraram em greve por tempo indeterminado a partir desta quinta-feira (2).


O movimenta afeta todas as unidades do estado, incluindo as unidades de Abaeté, Araguari, Barbacena, Carangola, Cláudio, Divinópolis, Frutal, Ituiutaba, Leopoldina e Ubá.


Segundo a Associação dos Docentes da Universidade do Estado de Minas Gerais (Aduemg), a greve foi aprovada em assembleia na última segunda-feira (29) "devido à intransigência do governo em negociar e atender as reivindicações da categoria".


Ainda conforme a Aduemg, os professores, através do sindicato, tentam um acordo por melhores condições de trabalho, tais como:

o cumprimento do acordo de greve firmado em 2018 e nunca implementado;

cumprimento da Constituição Mineira sobre o orçamento das universidades do Estado;

o aumento do orçamento para a universidade;

a recomposição salarial dos docentes, o aumento salarial do corpo técnico-administrativo;

a realização de concursos públicos;

defesa da autonomia universitária;

integralidade dos salários em casos de licença e pela ampliação das políticas de permanência e assistência estudantil.


0 comentário

Comments


bottom of page