Tiro de Guerra: a volta de um serviço essencial


Natural de Barbacena (MG), o subtenente do Exército Edmar de Oliveira Ribeiro, formado na Escola de Sargentos das Armas (ESA – Três Corações); Arma de formação: Comunicações, também possui formação universitária em Administração. Casado com a senhora Anabelga Aparecida Lemes Cano Ribeiro, tem dois filhos: Luiz Henrique Cano Ribeiro e Emanuel Cano Ribeiro. Edmar recebeu uma missão histórica: assumir o cargo de instrutor do TG 04-017, retomando as atividades do Tiro de Guerra de Oliveira, encerradas em 1989, portanto há 33 anos. A retomada desse serviço muito acrescentará na formação da juventude oliveirense, além de se constituir numa entidade socialmente colaboradora. É sobre a volta do TG, seus objetivos e sua importância social, que Edmar fala à GM nesta entrevista.


Qual é a missão do Exército Brasileiro?

Edmar - O Exército Brasileiro é a Força Terrestre e tem a missão de contribuir para a garantia da soberania nacional, dos poderes constitucionais, da lei e da ordem, salvaguardando os interesses nacionais e cooperando com o desenvolvimento nacional e o bem-estar social. Para isso, prepara a Força Terrestre, mantendo-a em permanente estado de prontidão.


O que é o Tiro de Guerra (TG) e quais são seus principais objetivos?

Edmar - Os Tiros de Guerra (TG) são Órgãos de Formação da Reserva (OFR), que possibilitam a prestação do Serviço Militar Inicial, no município sede do TG.


Qual a importância desse serviço para o município?

Edmar - Formar:

1) Munícipes conhecedores dos problemas locais, interessados nas aspirações e realizações de sua comunidade, e cidadãos integrados à realidade nacional;

2) Reservistas de 2ª Categoria (Combatente Básico de Força Territorial), aptos a desempenharem tarefas limitadas, na paz e na guerra, nos quadros de Defesa Territorial, GLO, Defesa Civil e Ação Comunitária; e

3) Líderes democratas, atentos aos ideais da nacionalidade brasileira e à defesa do Estado Democrático de Direito.


No caso de Oliveira, o TG está voltando à cidade. Como o senhor vê este retorno?

Edmar - Muito importante para os jovens, que a partir deste ano irão compor a 1ª Turma de instrução neste retorno do Tiro de Guerra 04-017, onde participarão de palestras com conceituados membros da comunidade; visitas a entidades públicas e privadas, para conhecimento das realizações e possibilidades do município em todos os campos de atividades; e participação na vida comunitária.


Quantos atiradores comporão a primeira turma, quando começarão as instruções e quantos meses durarão?

Edmar - Esta turma de instrução será composta de cinquenta atiradores. Esses serão matriculados no dia 1º Março de 2022 e no dia 30 de novembro de 2022 serão desligados, após fazerem o juramento à Bandeira, momento em que demonstrarão estarem aptos a desenvolverem as funções de combatente Territorial.


Em que consistem as instruções? O que os atiradores vão aprender?

Edmar - Durante o ano os atiradores terão instruções sobre matérias fundamentais à sua preparação como Combatente Básico de Força Territorial e instruções para o desenvolvimento de atitudes e hábitos necessários à formação do Atirador (atributos da área afetiva).


Além das atividades militares, em que situações os atiradores poderão prestar serviços à sociedade?

Edmar - Em colaboração aos diversos projetos de Ação Comunitária desenvolvidos na cidade, também em ações Defesa Civil; e demais solicitações de cunho social sempre em prol da sociedade de Oliveira.


Os atiradores terão que parar de estudar ou trabalhar durante a prestação do serviço militar?

Edmar - As atividades e horários do Tiro de Guerra visam conciliar o trabalho e o estudo do cidadão. O atirador matriculado terá um regime de instrução de duas horas diárias, de segunda-feira a sábado, de 06:00 às 08:00 horas. Os atiradores selecionados ao Curso de Formação de Cabos (CFC) permanecerão uma hora a mais durante a formação. Haverá outras situações de emprego do atirador, em outros períodos. Neste sentido é importantíssimo a colaboração dos empregadores que tiverem seus funcionários prestando o Serviço Militar Obrigatório no TG, de que esses estão vivendo um momento ímpar em suas vidas com relação à sua formação militar e pessoal.


Em que grau eles passarão à reserva, assim que forem desligados?

Edmar - Os Atiradores que tenham feito Curso de Formação de Cabos poderão ser promovidos a Cabo para a Reserva de 2ª Categoria, ao serem desligados. Os demais serão considerados atiradores de 2ª Categoria.


Aqueles que se interessarem poderão seguir a carreira militar no Exército?

Edmar - Sim, por meio da realização de concurso público. Aproveito este espaço para divulgar os endereços eletrônicos onde os cidadãos podem obter maiores informações sobre a carreira militar no Exército Brasileiro:

https://www.eb.mil.br/web/ingresso/militar-de-carreira

https://4rm.eb.mil.br/index.php/processos-seletivos


15 visualizações0 comentário